Tumores – pesquisa de Instabilidade de microssatélites

Resumo

O Carcinoma Colorectal Hereditário Não-Polipótico (HNPCC) é o síndrome genético mais frequente no âmbito do cancro familiar do cólon. O HNPCC é uma síndrome autossómico dominante causado por mutações em diferentes genes de reparação do ADN (ex. MSH2, MLH1 e MSH6). Nas famílias de HNPCC existe uma incidência aumentada de cancro em diversos órgãos nomeadamente: cólon, endométrio, ovário, estômago e vias biliares. Uma das características moleculares dos indivíduos com HNPCC, é a presença de instabilidade de microssatélites nos tumores destes indivíduos.

A detecção de instabilidade de microssatélites nos tumores de membros de famílias suspeitas de HNPCC, aumenta a probabilidade de detectar indivíduos portadores de mutações germinativas nos genes de reparação do ADN. Deste modo, a pesquisa de instabilidade de microssatélites em tecido neoplásico de doentes suspeitos de HNPCC é um bom método de rastreio, e deve ser realizada em qualquer doente suspeito de HNPCC de forma a indicar ou excluir o doente para aconselhamento e diagnóstico genético.

Em cancro colo-rectal esporádico a detecção de instabilidade de microssatélites nos tumores tem significado prognóstico e terapêutico. Tumores com este fenótipo molecular apresentam resistência à cisplatina e a agentes metilantes e susceptibilidade aumentada à droga 5-fluorouracil.

Genes estudados

MSH2, MLH1, MSH6 – genes de reparação de ADN.

Indicações para teste

Doentes de cancro que cumpram os critérios de Bethesda (por exemplo: doentes que pertençam a famílias com pelo menos 3 casos de cancro do espectro de tumores do HNPCC sendo parentes em primeiro ou segundo grau e/ou casos de cancro que ocorram em idade jovem) e doentes com cancro colo-rectal esporádico são candidatos à pesquisa de instabilidade de microssatélites.

Metodologia

A analise de microssatélites é feita a partir de tecido tumoral. Preferencialmente deve ser utilizado material congelado da neoplasia e sangue periférico (5 ml) como controlo colhido em tubo de plástico com EDTA. Em casos em que não seja possível colher material congelado e sangue periférico a doentes de cancro, a análise poderá ser realizada em material tumoral parafinado e fixado em formol tamponado.

Limitações

A pesquisa de instabilidade é um MÉTODO DE RASTREIO e como tal não serve para identificar indivíduos com síndrome de HNPCC, mas sim para indicar quais os indivíduos a que deve ser oferecido um diagnóstico e aconselhamento genético complementar.

Tempo de resposta

Analise de pesquisa de instabilidade – 3 semanas.

Envio de amostras

Genetest,
Rua Dr. Roberto Frias S/N,
4200-465 Porto

HOME | Testes Genéticos | Contactos | Notícias | Protocolos | Médicos | Links | F.A.Q. | Downloads
Copyright © 2010 Genetest. Todos os direitos reservados